Um software capaz de driblar patentes farmacêuticas

 

Pesquisadores da Polônia e da Coréia do Sul desenvolveram um método computadorizado que poderia ser utilizado para produzir drogas sintéticas, contornando a proteção conferida por patentes. (N.T. vide design around)

 

Na indústria globalizada, alguns dos segredos mais bem guardados são aqueles utilizados na fabricação de drogas e outros produtos farmacêuticos.

 

 “Quando iniciamos esse projeto, eu estava cético de que uma máquina seria capaz de encontrar alguma alternativa sintética – mesmo porque, drogas muito conhecidas valem zilhões de dólares, e eu estava certo de que as respectivas companhias tinham protegido esses fármacos em patentes com uma proteção tão forte que não haveria espaço para qualquer falha” disse o professor de química do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Ulsan (Coréria do Sul) e da Academia de Ciências Polonesas, Dr. Bartosz Grzybowski.

 

 “O que descobrimos é que, sempre existe alguma falha na proteção conferida pelas patentes, e que podemos encontrar novos caminhos retrossintéticos que contornem a proteção conferida pelas patentes”O Dr Grzybowski também é o desenvolvedor líder do software de síntese orgânica Chematica.

 

Essas patentes farmacêuticas protegem a propriedade intelectual de uma empresa e também inibem competidores de utilizarem algumas de suas soluções sintéticas. Estas soluções sintéticas  estão relacionadas ao aumento da pureza de uma droga, a maximização da sua produção de um mediamento e a redução dos custos de fabricação desse produto. O processo para obtenção desses elementos é demorado e requer reiterados experimentos para que seja alcançado um produto final.

 

Para superar as patentes em vigor, um time de pesquisadores “congelou” as porções mais importantes de cada molécula alvo, o que forçou o computador a substituir as demais partes da molécula por radicais não convencionais, com base em regras mecanicistas programadas pelos referidos pesquisadores.

 

Os pesquisadores testaram o software utilizando algumas drogas consagradas, como linezolida, sitagliptin e panobinostat. A linezolida é um antibiótico de último recurso; sitagliption é um medicamento para diabete; e o panobinostat é um medicamento para tratamento de câncer. Cada droga foi alcançada com níveis diferentes de dificuldade, com a depender da composição química de cada fármaco.  

 

Quando o programa de computador pôde ser utilizado sem restrições, ele deu como output a estrutura comercial e a síntese original. Entretanto, quando os pesquisadores designaram alguns átomos e ligações como imutáveis, o programa propôs um meio de driblar a proteção conferida pelas patentes dos referidos medicamentos.  

 

“Por localizar algoritimicamente as ligações chave em que as patentes se escoram e imputá-los nas árvores retro-sintéticas do Chematica, nós conseguimos gerar soluções sintéticas alternativas, alcançando um resultado bastante expressivo” diz o professor Grzybowski.

 

A habilidade do software de contornar patentes pode levar os químicos a alterar a forma que eles lidam com patentes e propriedade industrial.

 

O time de pesquisadores espera que o seu software possa ajudar companhias farmacêuticas na proteção de sua propriedade industrial e melhorar a pesquisa na área de química orgânica.

 

Esse trabalho ilustra os benefícios de incentivar químicos a pensar algoritimicamente e a indagarem cientistas da computação a alcançar conceitos químicos fundamentais, ao prover soluções na área de inteligência artificial que vão além do âmbito acadêmico” diz o co-autor Dr Piotr Dittw, um pesquisador da área de matemática e ciência da computação.

 

Este estudo foi publicado no Journal Cell e o atrigo transcrito acima foi publicado originalmente no seguinte link.

 

Traduzido por www.oconsultorempatentes.com

 

 

 

 

 

Please reload

Our Recent Posts

Posso patentear um método cirúrgico?

November 1, 2019

Busca de Patentes

October 10, 2019

Patente de software

October 3, 2019

1/1
Please reload

Tags

Please reload

11 995111782

São Paulo, Brasil

©2018 by arimagalhaes